Vai dar aquela espiadinha na Apollo 13, infeliz!

Há dez anos atrás pousou na terra a nave mas insuportável que a televisão já mostrou, a nave Big Brother Brasil e seus tripulantes, super heróis e whatever.

meus heróis morreram de aids

No começo era aquela coisa cool que todo mundo assistia por osmose, um monte de gente estranha vivendo numa casa por meio milhão de reais, quer coisa melhor? Quero. Foi só o vencedor da primeira edição, o Bambam resolver começar a pular e gritar toda vez que via sua família em dia de paredão que a coisa começou a ficar chata, levou apenas algumas edições e um pouco de juízo na cabeça das pessoas para o programa virar uma merda foda, mas a coisa entrou em estado de emergência quando a @twittess apareceu lá.

Veja bem leitor, eu não estou dizendo que vocês devem parar de assistir BBB (mas vocês deviam, pro seu próprio bem), e sim dizendo que eu adoraria poder ignorar o programa como havia planejado quando ele começou, ao invés de ficar ouvindo a Tropa Dourada dizendo que é invencível, ou o mimimi porque o tal do Eliéser é viado.

tropa de elite versão gold

Não entendo uma coisa sobre quem assiste BBB, eu acabo sabendo de tudo que tá acontecendo naquela droga de casa pelo twitter, e nele só vejo gente reclamando de que não sei quem é viado, fulano só chora, ciclano se faz de coitado, outra só quer mostrar a bunda e que outros tantos mimosos ficam fazendo merda lá dentro… É o seguinte, se só tem participante chato, porque vocês assistem? Ah é porque não tem nada melhor pra assistir. Daí a gente faz assim meu querido, pega uma coisa chamada CONTROLE REMOTO e aperta o botão de DESLIGAR, é eu sei, genial né?!

Mas em uma coisa eu tiro o chapéu pra Globo, mostram só o que querem que o telespectador veja, até mesmo pra quem tem pay per view e fazem todos sentirem prazer em ser manipulados só pra ter o que comentar na escola no dia seguinte, porque né, hoje em dia com a internet e tudo, vida própria ninguém tem pra se preocupar.

Mas susse, fiquei sabendo hoje que a moça chamada Cacau que saiu ontem é alguém de respeito, e sim, com isso eu quero dizer que quero ver ela na playboy.

Manual de Sobrevivência Escolar do @rafaiil

O alfabeto tava dando uma festa e a letra B bebeu muito e ficou completamente louco, então a letra A disse:

que bê louco! aff

Só brincadeira né, pra quebrar o gelo etc.

Hoje vamos analisar as escolas americanas e concluir que elas são todas iguais e precisam ter certas regras para existir.

Quarterback & Líder de torcida s2 4ever –

Salve a líder de torcida, salve o mundo~~

A única coisa que não pode faltar, em hipotese alguma, em uma escola americana é o romance entre o quarterback (capitão do time de futebol americano), cara que todas as garotas desejam e tem um orgasmo ao ver e a capitã da equipe das líderes de torcida, menina que todo loser punheteiro do colégio bate uma no recreio enquanto se esconde dos valentões, é o romance que dura o ensino médio (high school musical) inteiro e acaba com uma gravidez no banco traseiro do carro da mamãe do menino na noite do baile de formatura.

Loser –

”]

Loser é o cara nerd, fracote, gordo e feio que todo mundo escrotiza o ensino médio inteiro, o loser tenta dar uma festa foda quando seus pais viajam, mas não acaba dando certo uma vez que seus pais chegam REPENTINAMENTE oitenta e sete dias antes do que o esperado por algum problema com o avião e ele acaba fazendo uma merda foda no exato momento em que seus pais entram na casa. Tudo que o loser consegue são fotos de seus momento de glória espalhados pelo facebook e vídeos pelo youtube = segunda feira a escola vai ser foda.

A novata que sobe na vida –

its a vampire sookie

No começo do ano alguma menina misteriosa vai surgir do NADA e só os losers vão querer ela, mas por algum estranho motivo ela tem um super poder de persuasão e vai seguir o garoto mais lindo gostoso delicioso desejado da droga do colégio até pegar ele atrás do ginásio no baile de primavera, namorar ele e cair nas graças do público, até transformar ele em uma pessoa boa, destruindo sua reputação.

O professor que fode –

esse cara só quer te comer

Imagina você vai vomitar daí aparece na sacola um snape ):

Amigo negro do quarterback –

i make them good girls go bad

Porque ninguém é racista nos EUA.

Aulas que não acabam nunca –

toin

Estudantes americanos vão pra escola num ônibus amarelo às seis horas da manhã e voltam pra casa às três horas da tarde, sem contar que a escola parece um shopping center VÃO PRA CASA SEUS PUTOS!

Nota mental: caso ocorra uma invasão de zumbis, usar uma escola americana como abrigo.

Pretérito Perfeito

Me lembro daquele dia como se fosse amanhã (hehehe, no final do post isso vai fazer muito sentido tá gente?), eu devia ter uns cinco anos e tinha saído da escola, e, como sempre fazia enquanto estudava de tarde, tinha ido para a casa da minha avó, lá era sempre a mesma coisa, eu chegava e ia direto pra frente da tevê assistir Dragonball – Z até às seis e meia da tarde, quando minha avó ia assistir novela, era aí que eu comia uma torrada e desenhava.

Eram aqueles desenhos bonitos que toda criança de cinco anos faz e mostra pra mãe, a qual comenta o desenho enquanto assiste novela  na tevê “Ai que bonito”, a criança sempre se enche de orgulho e desenha mais, vai aqui uma réplica do meu desenho naquele dia:

SO BONITO?

Minha vó coitada, cansada de todos esses desenhos de pokemon que eu fazia ela me comprou um caminhãozinho de brinquedo, coisa pouca, que qualquer desperate housewive (dona de casa em inglês, aprendam) compra no camelô pro seu filho parar de gritar enquanto ela assiste sua novela no confortável sofá de sua sala, eu achei aquele caminhão a coisa mais linda do mundo e brinquei com ele sem parar até a hora de meu pai me buscar lá, uma pena eu ter esquecido esse caminhão na casa da minha vó.

oi gente esse é meu caminhão biquinão cervejão

Felizmente, eu voltei para casa da minha avó no outro dia, e levei o caminhão comigo para a minha casa. No carro a minha irmã me perguntou, “Quando tu ganhou?”, ali eu  me encontrei num dilema, porque eu não sabia a palavra “ontem”, do mesmo jeito que me confundia ao contar de “onze” até “dezenove” e por isso sempre acabava com nove coisas a mais do que eu realmente tinha… Foi então que olhei bem seguro para minha irmã e respondi, “Amanhã.”, foi aí que ela riu e falou, “Ah, é beeem novo então.”, e eu concordei, é claro que demorou um pouco pra eu lembrar que amanhã se refere ao dia que está por vir, foi aí que eu percebi que enquanto ser burro é uma maldição, saber usar a burrice é uma benção, mas preciso lembrar que com grandes poderes vem grandes responsabilidades.

Essa é minha benção, essa é minha maldição. Você sabe quem eu sou? Tem certeza de que quer saber?

sou o homem aranha?

Lindos, agora faço parte do blog Tédio a la Carte. (Esse sou eu pedindo pra vocês lerem o blog.)

Até ontem.

Eu sou o nerd fazendeiro

Há muito tempo em uma fazenda muito, muito distante…

HEHE. Zuação.

Me lembro da primeira vez que vi aquele simpático update no orkut “Fulano está cuidando de sua colheita. Monte sua fazenda você também! (via Colheita Feliz).”, não dei muita bola, alguma viadagem qualquer… Uma viadagem qualquer que da noite pro dia dominou mais a internet do que o formspringfield, coisa que não faz sentido nenhum, quer dizer, tudo bem, o pessoal querendo se achar importante fazendo um springfield pra outros otários perguntarem coisas pra ele até faz sentido (se você for um idiota), mas o sentido na Colheita Feliz eu não encontrei ainda, me diverti roubando e fodendo com a fazenda dos meus amigos quando entrei na Colheita Feliz do orkut da minha turma do colégio, mas coisa que durou meia hora de depois perdeu a graça.

Alguns amigos tentaram me explicar porque este aplicativo é algo tão interessante, a maioria deles falando que é legal roubar e gratificante comprar coisas gays pra enfeitar sua fazenda, mas teve um que merece destaque.

Eu estava em uma conversa em grupo no msn, rolou alguma piada com Colheita Feliz e uma amiga disse que era coisa de desocupado, três das quatro pessoas que estavam na conversa não jogam, todos concordamos, mas a única de nós que jogava defendeu sua causa com a seguinte tese: “Não acho que seja coisa de desocupado, acho bem interessante, precisa de raciocínio pra subir de nível e ganhar dinheiro.”

Caímos na risada.

Falei que já tinha jogado e não precisei de raciocínio nenhum, ganhei animaizinhos e tudo mais, ela veio com argumentos fortes pra cima de mim, “Garanto que chegou só no nível quatro, good, very good, eu ganho moedas verdes de graça.”

Minha filha, permita-me começar comparando seus argumentos com os argumentos de um jogador de tíbia:

“CARA, CÊ FICA AÍ QUERENDO SE ACHAR PORQUE TREINA COM GOBLIN E CAÇA CYCLOPS PERTO DE VENORE COM P.A.! SEU FILHINHO DE PAPAI QUE DEIXA EM BOT O DIA INTEIRO! EU SÓ TENHO P.A. PORQUE TIVE QUE JUNTAR UMA GALERA ENORME PRA FAZER UMA HUNT DE DEMON ATÉ DROPAR UM DEMON SHIELD E EU VENDER PRA COMPRAR UMA POR 1KK”

RACIOCÍNIO??? Raciocínio a gente usa quando joga Pokémon Gold em um emulador de Gameboy Advanced e precisa pensar quais pokémons levam vantagens contra os pokémons que você vai enfrentar, em qual ataque você vai usar pra causar mais dano nos health points do inimigo, em quanto vai gastar com poções, antídotos e pokebolas, pra ainda sobrar dinheiro e você comprar ataques novos, e não quando se vai clicar em “REMOVEDOR DE PESTES” e jogar em cima do quadradinho que tem uma minhoca rebolando, tampouco quando se vai regar um quadradinho no qual a terra está claramente seca.

E logo quando eu achei que não podia ficar pior…

Quem acha que não pode ficar pior clica aqui.

vai plantando vai colhendo eu quero é ganhar dinheiro
vai roubando vai vendendo
SOU O NERD FAZENDEIRO

Meu amigo Lord Voldemort

Essa é uma história verdadeira, aconteceu comigo e amigos meus.

Todos nós temos um trauma de infância, a maioria envolve uma aranha, cobra, mosquito, facas, palhaços, alturas, elevadores ou whatever. Mas tenho um trauma um pouco diferente, ele envolve uma coleção de livros, uma brincadeira inocente no recreio do colégio, uma faca, uma arma de brinquedo e farelos de borracha.

Eu tava na terceira série quando aconteceu. Eu e um amigo, vamos chamá-lo de Rony Weasley éramos fãs de Harry Potter e tivemos a brilhante ideia, “MEU VAMO BRINCAR DE HARRY POTTER NO RECREIO”, com isso nós convidamos mais três colegas, vamos chama-los de Hermione Granger, Angelina Johnson e Olívio Wood. Depois disso foi só alegria, todos os outros alunos da turma queriam ser a gente ou estar com a gente, mas éramos esnobes, eu principalmente, e dizíamos que não podiam brincar pois não haviam lido os livros da série, e isso causou revolta em um colega grande amigo nosso, Tom Riddle, ou como ele é conhecido atualmente, Lord Voldemort.

Voldemort queria brincar. Voldemort queria MUITO brincar, nos seguia recreios inteiros (às vezes escondido), reclamava para a professora, se fazia de bonzinho, se fazia de malvado, tinha planos mirabolantes pra nos fazer gostar dele, uma pena que nada deu certo (hehe, fracassado).

Não demorou muito para Tom Riddle e Rony Weasley montarem sua fábrica de borracha. A ideia era bem simples: todos os alunos da turma que usassem sua borracha deveriam colocar os farelos dentro do apontador do Rony para que ele e Você-sabe-quem fizessem as borrachas. Mas como tudo que é bom dura pouco, a aliança entre todos nós e Aquele-que-não-deve-ser-nomiado se rompeu quando ele se revoltou e jogou um pote (um pote grande, muito grande mesmo) com todos os farelos coletados até aquele dia no lixo, o que causou uma briga entre a turma inteira e inclusive a ameaça de Voldemort, que disse que iria contar para a supervisora da escolha que nós não deixavamos ele brincar conosco (o que levou Angelina e Hermione a chorarem de medo, e Rony a chorar porque havia perdido mais do que um sócio, e sim um amigo).

Apartir daí ocorreram mais duas ameaças:

Na primeira Voldemort levou uma arma de brinquedo (daquelas que atira aqueles dardos que grudam no vidro), pra atirar na gente, felizmente a professora pediu educadamente para ele deixar a arma na mesa dela pra evitar machucados.

A segunda foi a mais assustadora de todas, Você-sabe-quem levou uma faca para o colégio, logo na entrada enquanto nós da “turminha do Harry Potter” (como éramos chamado na época) estávamos conversando sobre algum feitiço ou poção (sério mesmo), ele chegou e nos mostrou a faca, bem orgulhoso, aquilo assustou muito a gente, mas como éramos jovens e burros, nós tinhamos muita sorte e a mãe de Voldemort fez ele devolver a faca para ela leva-la de volta para casa.

Esses atos (e mais tantos que não vou contar agora) levaram Aquele-que-não-deve-ser-nomiado a ser suspenso na terceira série do ensino fundamental.

Mas a história teve um final perto de feliz. Um dia próximo ao final do ano a professora fez todos os alunos se sentarem em um círculo e conversar sobre os conflitos gerados pela turma (lê-se: turminha do Harry Potter), tal momento emocionante fez vários colegas chorar e, por algum estranho motivo, Olívio Wood disse que todos poderiam brincar de Harry Potter conosco. Sem contar que Lord Voldemort pediu desculpas e desabou em lágrimas.

Após essa linda conversa a turminha do Harry Potter foi se divertir na casa de Rony Weasley, lá, arrependidos, decidiram que foi uma péssima ideia deixar todo mundo brincar e então deixaram de ser a turminha do HP, deixando este fardo para os outros colegas que não podiam brincar antigamente.

Atualmente somos conhecidos como

AVADA KEDAVRA!

Circus Circus

Respeitáveis leitores, como é do conhecimento de todos vocês (ou quase) eu tenho medo de palhaços, e esse se tornou o motivo de eu não ir a circos, fato que me levou a criar um circo em minha cabeça, não exatamente um “Cirque du Rafael”, mas uma imagem de circos, a qual é muito melhor do que os verdadeiros circos que você vai ver com seus pais. Enfim, hoje vamos falar sobre essa minha imagem de circos, esse circo na minha cabeça que é melhor que o circo debaixo da tenda, if you know what i mean.

why so serious?

A melhor coisa neste circo é o fato de não haver palhaços, e sim espantalhos. Espantalhos são discriminados e abolidos da sociedade só porque pássaros têm medo deles, mas espantalhos são criaturas muito mais simpáticas do que palhaços, principalmente pelo fato de que eles não querem comer você.

saudades do pai e da mai

Chega dessa viadagem de poodlezinhos andando em cima de bolinhas cor-de-rosa com estrelinhas desenhadas, sem essa putice de mulheres sem perna alguma segurando argolas brancas com triangulos roxos para gatinhos persas pularem, é viadagem demais pra um ambiente só. Queremos leões de verdade, brabos e querendo razão, famintos, ficando parados em cima de cadeirinhas onde mal cabe uma criança sentada e pulando entre argolas em chamas, tudo isso com uma mulher com pernas no mínimo respeitáveis e usando um chicote.

i'm walking on sunshine and don't it feel good!

Quando alguém faz algo errado em um circo, quando um poodle cai da bola cor-de-rosa, quando o homem mais forte do mundo tem cãimbra, quando uma contorcionista torce o tornozelo ou whatever que dê errado em alguma apresentação, a gente não aplaude, a gente quer nosso dinheiro de volta. Então porque é que tem uma rede em baixo da corda bamba? Se o cara é bom, ele não cai. Se o cara cai, é demitido, então que caia e morra mesmo. Afinal, a gente se supera quando tá em perigo real.

espelho, espelo meu existe alguém mais bela do que eu

Não tem mulher barbada.

Sei lá, não vejo motivo em gastar uma grana pra ver uma mulher escrota com mais barba que o meu pai.

Quem tem medo de geléia?

Quando eu era mais jovem, e com jovem eu digo uns três anos de idade, meu tio era dono de uma locadora, na época VHS era a coisa mais linda que eu já tinha sonhado. E eu tinha dois filmes favoritos na infância, um deles era o Rei Leão, o qual eu sigo os ensinamentos de Mufasa como se fossem minha bíblia, e o outro Power Rangers: O Filme. Vamos falar sobre esse último.

vem comigo se quiser viver

Antes do começo do filme passava um trailer, ou propaganda, ou whatever que ocorria assim: havia um escritório e uma daquelas cadeiras enormes mafia style estava virada para a janela, quando ela se virava para a câmera havia um macaco vestido num terno verde sentado nela, e ele fumava um charuto. Não entendo porque, mas eu morria de medo desse macaco.

O filme é uma obra DI-VI-NA! Mas vamos pular essa parte e ir pr’o que interessa, o vilão do filme. Eu nunca entendi esse vilão (Ooze), tinha uns cara trabalhando numa construção e daí saia uma gosma roxa e virava a segunda coisa mais assustadora desse mundo.

UNLIMITED POWEEERRRR

Além de assustador, Ooze retrata a beleza e simetira dos vilões dos anos 90, primeiro que eles eram feios, feios pra caramba. Outra, eles faziam sentido, se o cara era uma gosma, ele fazia gosma, se o cara é uma cobra ele criava cobras e por aí vai. Então Ooze fazia uma gosma ou sei lá o que raios era aquela geléia, mas hipnotizou a cidade inteira e whatever.

Eu levei anos pra superar minha aracnofobia, mas o medo que sinto pelo Ooze (e por palhaços) nunca vai passar, não são poucos os pesadelos em que estou sendo perseguido por palhaços, ou pelo Ooze (ou pelo Ooze fantasiado de palhaço, nesse eu acordei gritando), para a minha sorte eu sempre sou salvo pelos melhores heróis da história nos meus pesadelos.

i'll tell you what i want, what i really really want